Da preguiça como método de trabalho

Mário Quintana

Da preguiça como método de trabalho é o livro em que Mario Quintana coloca de maneira mais clara e assumida seus princípios poéticos e de vida. Ao longo de aforismos, tiradas humorísticas, fábulas e narrativas marcadas por um alegorismo cáustico, este volume publicado originalmente em 1987 reafirma o vitalismo anti-intelectual que definia o perfil do poeta, como assinalou Carlos Jorge Appel.

"A preguiça produtiva é na verdade o método de trabalho da poesia", escreve Quintana. Ela cria o tempo lento - observador, reflexivo, imaginativo - que possibilita o nascimento (ou renascimento) tanto do poema quanto da conversa inteligente entre amigos. O elogio do poeta à preguiça combina-se à rejeição de qualquer discurso grandiloquente. Trata-se de um espaço-tempo antieconômico e antiutilitário, que permite o abalo no bom senso, abrindo novos horizontes de percepção, dentro do devaneio, da insônia e do sonho.

Buscar uma ética da simplicidade é tão forte para o poeta que ele chega a desejar um mundo em que o espaço poético fosse povoado apenas por autores anônimos. No entanto, este é um livro em que a assinatura singular de Quintana apresenta-se em potência máxima, expondo suas múltiplas ramificações, assim como desvendando suas próprias condições concretas de existência e sua rede de relações intelectuais e afetivas.

O gaúcho pratica como poucos a arte da conversa por escrito: atravessada de humor, pontuada por pequenas histórias e fábulas, cheia de conceitos preciosos sobre o ser do poético. O poeta proseia. Sem ostentar erudição, mas derramando sedução. E também revelando um pouco de seus encontros cotidianos, passados e presentes, sua existência de rijo cidadão porto-alegrense para além de seus oitenta e alguns anos.

ler mais

COMPRAR na Amazon

Idioma: Português

ISBN mais comum: 9788579622182

Principal editora: Alfaguara - Objetiva

Capa de Da preguiça como método de trabalho - Mário Quintana

Veja os exemplares deste livro encontrados nas bibliotecas dos Livristas:

A preguiça produtiva é na verdade o método de trabalho da poesia, escreve Quintana. Ela cria o tempo lento - observador, reflexivo, imaginativo - que possibilita o nascimento ou renascimento tanto do poema quanto da conversa inteligente entre amigos. O elogio do poeta à preguiça combina-se à rejeição de qualquer discurso grandiloquente. O gaúcho pratica como poucos a arte da conversa por escrito - atravessada de humor, pontuada por pequenas histórias e fábulas, cheia de conceitos preciosos sobre o ser do poético. O poeta proseia. Sem ostentar erudição, mas derramando sedução. E também revelando um pouco de seus encontros cotidianos, passados e presentes, sua existência de rijo cidadão porto-alegrense para além de seus oitenta e alguns anos.[...]

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.


Warning: Trying to access array offset on value of type null in /var/www/vhosts/livrista.com.br/httpdocs/widget_footer.php on line 98